Em 1990 fiquei noivo da Leila e começamos os preparativos para o casamento, mas eu tinha recém-saído do Seminário e assumido uma igreja em Ponta Grossa/PR, uma igreja que estava passando por problemas e não tinha condições de me dar o sustento necessário para um início de vida de casado, então eu sabia que teria de trabalhar muito para que a Igreja crescesse e pudesse me dar as condições necessárias para casar.

Naquele ano conheci, em um dos cultos o Luís Carlos, cunhado de uma discípula, Dulce, e por uma ação de Deus o Luiz me disse que como eu estava começando na vida, a lua de mel ele me daria, e pensa numa provisão extraordinária, pois pelos meus cálculos não sobraria dinheiro para isso, foi algo muito importante para mim, agradeci e combinamos os detalhes.

Assim que casei em janeiro de 1991, fomos para Itajaí/SC curtir a lua de mel ofertada pelo Luiz Carlos, por isso Santa Catarina sempre foi um lugar de boas lembranças para mim, e todo ano no período de férias desço para lá, tenho boas lembranças dessas praias, além de ser um lugar muito bonito.

Um outro fator que me faz amar o litoral Catarinense é que todas as férias que vou para Santa Catarina Deus sempre fala comigo em visões, palavra revelada e direção para minha vida e ministério. Já tive muitas experiências espirituais quando estava de férias nas praias de Bombinhas/SC. Eu só não tinha noção que dessa vez a experiência seria muito mais profunda e que me levaria as portas da morte.

Este ano como em todos os outros, planejamos tirar nossas férias em Bombinhas/SC, e dessa vez iríamos apenas em três, uma vez que meu filho mais velho, o Giovanni, casou e não iria conosco, seria umas férias diferentes agora, a família reduziu para três pessoas, eu pensava em como seria diferente, porque o Giovanni é o que sempre está fazendo brincadeiras e pegadinhas na família. Saímos de Campo Grande/MS no dia 13 de janeiro rumo à Santa Catarina, mas passaríamos antes em Londrina, Ponta Grossa e Curitiba vendo a sogra, os irmãos e a mãe, e assim fizemos de modo que dia 19 já estávamos em Bombinhas/SC.

Alugamos um apartamento por um preço incrível e nos instalamos para curtir o período de férias. Deixamos para ir à praia dia 20, porque no primeiro dia teríamos que abastecer de provisões o apartamento, no outro dia começamos a aproveitar a praia, o sol e a boa comida que sempre tem no litoral Catarinense.

Encontramos amigos na praia, sem combinarmos nada, tivemos um tempo com os pastores Júlio e família, Marcelinho e família, também encontramos discípulos que vieram depois da gente, a Stelamarys e família. Um começo de férias muito gostoso, mas nem imaginava que teria a maior experiência da minha vida, porque como eu disse anteriormente, é no litoral Catarinense que Deus tem me dado experiências extraordinárias.

Então no dia 22 de janeiro recebi um WhatsApp do Pastor Arnon que no domingo dia 23 o Pastor Eduardo queria que eu fosse a Igreja dele em Camboriú, pertinho de onde eu estava, ele queria conversar um pouco comigo, entrei em contato com o Pastor Eduardo e combinamos que eu estaria com ele no domingo; falei com a Leila e o Allan que no domingo não teríamos praia, passaríamos o dia em Camboriú e à noite iríamos ao culto.  E assim no domingo pela manhã fomos a Camboriú e decidimos almoçar no shopping, e foi aí que começou toda minha experiência que, com certeza, vai marcar minha história pelo resto da vida.

Almoçamos, mas eu estava indisposto desde o dia anterior, me sentindo esquisito e cansado, após comer algo leve a minha canseira aumentou consideravelmente acompanhada de dor no peito, procuramos rapidamente uma unidade de saúde, encontramos uma na barra em Camboriú, assim que chegamos fizemos a triagem, fiquei impressionado com o profissionalismo dos agentes de saúde, me atenderam rapidamente e constataram, através dos exames, que eu estava com COVID.

Pronto, aqui começa a minha “Via Crucis”, fui imediatamente acolhido no ambulatório, colocado em uma maca, feita administração de soro com medicamentos, lugar onde permaneci das 15 horas até às 22 horas. Assim, melhorei consideravelmente, e, às 22 horas fui liberado e fomos para o apartamento em Bombinhas na mesma noite.

Na segunda-feira passamos bem o dia todo, tomando os medicamentos dados no posto de saúde, mas na terça-feira amanheci cansado novamente e a saturação do oxigênio começou a cair perigosamente, então a Leila decidiu me levar ao posto de saúde em Bombinhas. Imediatamente fui levado ao ambulatório e constatado que a COVID estava avançando rápido no pulmão.

Então na terça à noite fomos levados para um hospital em Camboriú, já com máscara de oxigênio na ambulância, mas o hospital não estava preparado para tratamento de pacientes com COVID, a noite foi terrível, pois o vírus estava avançando sobre minha saúde rapidamente.

Nesse ínterim a Leila conseguiu que o Pastor André estivesse me acompanhando. O Pastor André mora em Camboriú e foi discípulo do Pastor César Heining, de Brusque/SC, conhecido do Pr. Arnon meu discípulo que estava de férias no Nordeste e ficou sabendo da minha internação, e entrou em contato com o Pr. André e pediu que nos auxiliasse no que fosse necessário. Pois, ele conhece tudo por ali, também é amigo do diretor desse hospital onde eu estava internado, e conseguiu que me transferisse para a UTI do hospital de Itajaí/SC, Hospital Marieta Konder Bornhausen, que é referência no tratamento de COVID da região, e na madrugada de quarta para quinta-feira às 1:30 fui transferido por uma UTI móvel porque não estava conseguindo respirar.

Um pouco antes da transferência, ainda em Camboriú, o Pastor André conseguiu entrar no quarto do hospital e falar comigo, pegar celular e documentos, quando ele entrou no quarto falar comigo, Deus o usou para me dar uma palavra, e, tinha um senhor comigo no quarto e o Pastor André foi usado por  Deus e entregou uma palavra para ele que causou um impacto tremendo na vida desse paciente, assim que o Pastor saiu esse homem me disse: nada acontece por acaso, Deus permitiu que o senhor estivesse internado no mesmo quarto que eu para que esse Pastor viesse e me entregasse esse recado de Deus; e a partir disso esse homem começou a orar se reconciliando com Deus e passou a cantar hinos e agradecer a Deus pela sua misericórdia. Realmente eu entendi que Deus usa todas as nossas situações para alcançar aqueles que precisam dele.

O trajeto até Itajaí foi rápido, mas muito angustiante, a respiração estava muito difícil, as dores no peito muito intensas, a minha situação não estava nada boa, tanto que a minha transferência foi em uma UTI móvel e não em ambulância comum.  Chegando ao hospital fui levado direto para a UTI no setor de COVID, me colocaram numa oferta de 100% de oxigênio, meu agravante é que eu não tinha vacinado e sou diabético. A situação era muito grave. A madrugada de quinta-feira foi muito difícil.

Nesse período minha esposa havia comunicado a família e igreja sobre minha situação, criaram um grupo de oração específica para essa situação e a batalha espiritual começou, aliás começou na quarta-feira. Na quinta-feira mesmo os médicos fizeram tomografia no pulmão e constataram um comprometimento de 60 a 75 %, então tentaram me colocar uma máscara onda a máquina respiraria por mim e forçaria o oxigênio para dentro do pulmão, um passo antes da intubação.

Por alguma razão a máquina quebrou e voltei a máscara de oxigênio normal, a médica então me falou que eu precisaria me esforçar em praticar uma respiração profunda para não precisar ir para uma situação mais difícil, então comecei a lutar com minha respiração para não deixar cair a saturação de oxigênio no sangue, porque o próximo passo seria, inevitavelmente a intubação; foram quatro dias de “Vale da Sombra da Morte”, onde eu tive que lutar para permanecer vivo.

Todas as noites a morte vinha me visitar, mas eu orava intensamente e dizia: ainda não é minha hora, tem uma promessa sobre minha vida; em maio de 2021 eu perdi meu irmão Josmar pelo COVID, ele internou numa sexta-feira, entubou no domingo e veio a óbito na terça-feira, tudo muito rápido, então eu desci de Campo Grande/MS para Ponta Grossa/PR onde meu irmão seria sepultado, nessa viagem o Pastor Adilson de Maringá/PR me ligou e me entregou uma Palavra de Deus a respeito da morte de meu irmão, nessa Palavra ele disse que eu iria viver muito ainda, pois o propósito de Deus para minha vida não havia terminado, eu me agarrei a essa Palavra desde então; quando eu percebia que eu estava mal na UTI eu lembrava desta Palavra e orava para que ela se cumprisse na minha vida, e ao mesmo tempo na igreja em Campo Grande formou-se um grupo de oração por mim que estava, intensamente, orando.

A experiência de estar às portas da morte não me assustava, mas eu pensava na minha família e orava para que Deus me permitisse terminar de criar meus filhos e ter a oportunidade de ver meus netos uma vez que ELE havia me dado a promessa de que eu viveria muito para cumprir o meu propósito.

Não tive nenhuma visão, nem vi nada sobrenatural, o meu deserto foi solitário, só tinha minha FÉ no meu Senhor Jesus Cristo e nada mais; eu estava na UTI numa cama deitado numa posição de quase 90 graus, praticamente sentado e assim fiquei todos os dias que estive no hospital, estava usando um lençol e cobertor que me mantinha aquecido e confortável enquanto internado, mas nas noites difíceis eu via a morte se aproximar, começava com dificuldades para respirar absurda, a vista embaraçava e de repente um frio congelante começava a subir pelos pés e avançava até chegar no abdômen, então eu orava como nunca, apresentando a Deus minhas reivindicações pela promessa e pela vida, e assim como começava aquele frio congelante ele retrocedia devagar a medida que eu orava até que meu corpo aquecia novamente, isso se deu pelos dias que fiquei na UTI.

A mobilização pela oração a meu favor moveu amigos e pessoas que eu nem me lembrava mais, essa unidade de oração e a intercessão de amigos preciosos tiveram respostas porque no domingo à tarde fui comunicado que já estava fora de perigo e seria transferido para enfermaria comum para terminar o tratamento, não havia necessidade de UTI mais. Você não tem ideia de como ouvir isso é bom, e na segunda-feira fui transferido e fui para uma enfermaria comum. No quarto somente eu e um senhor chamado Arnoldo e sua filha Solange como acompanhante.

Foram três dias e meio de evolução no tratamento, começamos o processo que eles chamam de desmame do oxigênio, onde eles vão diminuindo dia a dia a oferta de oxigênio. Para quem na UTI estava usando 100% de oferta de oxigênio agora no quarto estava apenas com 3 litros por hora e diminuindo dia a dia, no terceiro dia já não estava usando cateter de oxigênio e então na quinta-feira tive alta, sai do hospital depois do almoço e fui para um apartamento que minha esposa havia conseguido em Camboriú.

Como fui transferido para Camboriú, o pastor Timóteo acionou um discípulo seu que morava lá – Ana e Pablo, e eles cederam seu apartamento para a Leila ficar três dias, mas agora precisava de outro lugar pra ficar, porque a Ana estaria voltando para seu apartamento, então o Pastor Eduardo Reis alugou um quarto no hotel e a Leila e o Allan ficaram por mais dois dias, mas ela sabia que não poderia ficar no hotel muitos dias, até porque não sabia quanto tempo mais eu ficaria no hospital, então ela orou e no sábado o Pastor Jaaziel e Joyce entraram em contato oferecendo seu apartamento em Camboriú, para que eles ficassem o tempo que fosse necessário, uma resposta imediata e providencial de oração, não foi só eu que tive experiência com Deus nesse período de deserto.

Agora eu teria de começar uma batalha de recuperação, pois desde que fui internado perdi 15 kg de peso, fiquei imobilizado na cama desde que fui internado até a alta, uma semana sem me alimentar, somente no soro e depois uma alimentação reduzida durante os três dias e meio na enfermaria, não conseguia ficar em pé, as pernas não sustentavam o corpo. Ainda estava com um roteiro de mais cinco dias de medicamentos, comecei meu tratamento com uma fisioterapeuta na sexta-feira que durou até a quinta-feira da outra semana e graças a Deus ela conseguiu que eu evoluísse e no último dia de fisioterapia eu já estava levantando sozinho e tomando banho em pé, porque quando cheguei fiquei limitado, não conseguia levantar do sofá sozinho e escovava os dentes e tomava banho assentado numa cadeira.

Mas ainda restava um último susto no meu deserto, no domingo pós alta almocei, e de repente do nada comecei a sentir dores no peito tão fortes que nem quando estava no hospital eu havia sentido, me desesperei com tanta dor, mas imediatamente pedi a Leila acionar o grupo de oração e ligar para meu amigo pastor Adilson para que pudesse orar por mim urgente, não estava suportando o nível da dor, então o Adilson começou a orar no “viva-voz” no celular, assim que ele terminou de orar a dor foi desaparecendo, graças a Deus pouco tempo depois aquela dor desapareceu; pouco tempo depois recebi uma ligação da Dra. Iraci, psicóloga em Campo Grande, e ela me disse que o que eu passei foi uma crise de ansiedade, comum para quem passou por uma COVID grave, fiquei mais tranquilo, orientado a procurar um médico na área para que essa crise de ansiedade não retorne, e a partir de então comecei a evoluir na minha recuperação.

Agora uma semana depois da alta começamos voltar para voltar para casa, meu amigo Ap. Eliã Caetano, de Curitiba, desceu a Camboriú e nos levou até Curitiba onde ficamos dois dias e então fomos até Londrina, onde ficamos mais dois dias e na segunda-feira o Pastor José Luís, que tinha vindo de Campo Grande, nos levou de carro até em casa, chegamos em Campo Grande/MS na segunda-feira à tarde lá pelas 17 horas.

Esse breve relato de minha batalha contra a COVID é pra declarar que fui sustentado e curado pelo poder da ORAÇÃO, quando você tem promessa deve-se agarrar a ela e mantê-la debaixo de muita oração, quando você tem uma igreja que ora e amigos que intercedem por você, perceberá o Poder da Oração, eu fui tirado do “Vale da Sombra da Morte” (Salmos 23) e transportado para debaixo da “Sombra do Altíssimo” (Salmos 91) porque tinha um povo orando incessantemente por mim, agradeço a Deus e a minha esposa Leila que nesse período se revelou uma guerreira no cuidado, atitude e oração por mim.

Minha gratidão ao Pastor André, Camboriú/SC, que lutou por mim correndo nos hospitais comigo e dando suporte a minha esposa e filho que estavam sozinhos, gratidão ao Pastor César, Brusque/SC, que acionou pessoas para nos darem suporte, gratidão ao Pastor Eduardo Reis que nos emprestou seu motorista para conduzir minha família nesses dias e nos amparou dando hotel para minha família ficar em Camboriú, a irmã Ana que emprestou por dois dias seu apartamento para minha família ficar, gratidão ao Pastor Jaaziel e Joyce que nos cederam seu apartamento por dez dias até que eu me recuperasse, minha gratidão ao Apóstolo Luiz Hermínio- MEVAN, que nos deu suporte acionando o Dr. Alcionor para nos acompanhar na UTI e orientar a Leila em todos os procedimentos que eu estava passando, e por último, agradecer ao Bruno e Ana Paula antigos discípulos, que hoje moram em Navegantes/SC, que me auxiliaram na minha recuperação quando tive alta, gratidão pela vida da Rosana que hoje mora em Piçarras/SC, que conseguiu nos assessorar enquanto estávamos na enfermaria e colocou a Leila em contato cima Solange para que pudesse falar comigo, que o Senhor vos recompense em tudo cem vezes mais, pois semearam misericórdia nesse tempo difícil para mim.

Que o Senhor da Glória seja glorificado em todo tempo, Ele nunca deixa seus filhos desamparados não importa a situação, Ele ouve aqueles que lhe buscam e confiam em suas promessas.

Antonio Bueno
Apóstolo


FELIZ 2022
Origem dos conflitos em Israel

________________________

________________________

Quem é Antonio Bueno?

Um Apóstolo atemporal, encorajador, visionário, carinhoso, inteligente, culto e dono de uma voz profética ímpar que tem encorajado e sacudido a nossa geração:

‘É assim que eu defino o Apóstolo Antonio Bueno, fundador e presidente do impactante Ministério Apostólico Renovado no Brasil.

Nascido em 26/021963, em Telêmaco Borba – interior do Paraná, ele é casado com a Pastora Leila Cristiane de Camargo Silva, são os pais dedicados de dois filhos preciosos, Giovanni de Camargo Silva e Allan de Camargo Silva, ele é formado em Bacharel em Teologia pelo Seminário Presbiteriano Renovado de Cianorte, Paraná, turma de 89, foi Ordenado ao ministério em 1990, é um experiente Coach formado pela consagrada SBCOACHING/SP, Personal, positive, career e executivo coach, ainda encontra tempo para fazer a diferença ministerial em Mato Grosso do Sul – ele é Secretário do conselho municipal de pastores de Campo Grande/MS e Vice presidente do conselho estadual de pastores do Mato Grosso do Sul e ele é o Fundador e presidente do Ministério Apostólico Renovado – Mar no Brasil, que atualmente conta com 10 igrejas, incluindo nossa missão (Igreja) em Montijo, Portugal.

Seja Muito Bem-Vindo ao Site Apostólico de Antonio Bueno.